Cardeal critica Sínodo da Amazônia

09/10/2019

Neste domingo (6) uma entrevista do cardeal Gerhard Müller ao jornal Il Foglio trouxe uma série de críticas ao Sínodo da Amazônia, evento que reúne líderes católicos para discutir diversos assuntos sobre a região amazônica.

O religioso declarou que, pelos protagonistas da assembleia, “se compreende facilmente que a agenda é totalmente europeia”, sobretudo a agenda alemã para permitir que leigos tenham direito a votos.

Entre os temas a serem debatidos até o dia 27 deste mês estão o fim do celibato sacerdotal, à ordenação das mulheres, a reforma da moral sexual e a democratização dos poderes na Igreja.

Esses assuntos foram criticados pelo religioso durante a entrevista, pois ele entende que a crise da fé não “se trata de recrutar mais pessoas para administrar” as igrejas e que é necessária “uma preparação espiritual e teológica”, sendo, por isso contrário ao fim do celibato e a ordenação de mulheres.

O religioso declara que o erro está presente também no Instrumentum laboris, o documento base do Sínodo sobre a Amazônia: “um documento que não fala de Revelação, do Verbo encarnado, da Redenção, da Cruz, da Vida eterna”. Ele também critica que o evento exalta as tradições religiosas dos povos indígenas e suas cosmovisões no lugar da Relevação divina.

Müller critica também o tema ambiental como pauta de um evento religioso. “A Igreja é de Jesus Cristo e deve pregar o Evangelho e dar esperança para a vida eterna. Você não pode se tornar o protagonista de nenhuma ideologia, seja a de ‘gênero’ ou a de neopaganismo ambientalista”, declarou.

O uso do termo “Mãe Terra” dentro do “Instrumentum laboris” do Sínodo na Amazônia também foi alvo de críticas por parte do cardeal. Ele entende que a expressão é pagã, pois “a terra vem de Deus e nossa mãe na fé é a Igreja”.

“Somos justificados pela fé, esperança e amor, não pelo ativismo ambiental. É verdade que o cuidado do criado é importante, afinal vivemos em um jardim querido por Deus. Mas este não é o ponto decisivo. O fato é que, para nós, Deus é a coisa mais importante. Jesus deu sua vida pela salvação dos homens, não do planeta”, disse o religioso.

Fonte: Gospel Prime

Biden defende pela primeira vez impeachment contra Trump

09/10/2019

Pré-candidato do Partido Democrata nas eleições de 2020, o ex-vice-presidente Joe Biden defendeu nesta quarta-feira (9), pela primeira vez, a sequência do processo de impeachment contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

"Trump violou as responsabilidades de seu cargo, traiu essa nação e cometeu atos que merecem um processo de cassação. Deveria ser submetido a um impeachment", disse Biden em um comício realizado no estado de New Hampshire, no nordeste do país.

A mudança na postura de Biden, que até mostrava reservas ao impeachment de Trump, é especialmente importante porque a investigação aberta na Câmara dos Representantes tem relação com o filho do ex-vice-presidente. Trump é acusado de pressionar o presidente da Ucrânia, Vladimir Zelenski, a abrir um inquérito por corrupção contra Hunter Biden.

"Ele está violando a nossa Constituição e não podemos deixar que ele saia ileso", ressaltou.


Ação repetida

No evento, Biden também afirmou que já se sabem de três ocasiões em que Trump buscou ajuda de um governo estrangeiro para chegar ou se manter no poder. Para o ex-vice-presidente, essa atitude é "antiamericana".

"Trump não está nos colocando a prova, está rindo de nós. Não tem nenhum sentido de decência. (...) Temos que mostrar que ele erra. Temos que mostrar que estamos à altura desse momento", afirmou Biden.

"Os Estados Unidos não podem ter um presidente que abusará de qualquer poder que disponha com o objetivo de ser reeleito", completou o ex-vice-presidente, chamando Trump de "covarde" por ter medo de perder as eleições presidenciais de 2020.


Presidente retaliou

A reação de Trump não demorou. No Twitter, o presidente disse ser patético ver Biden, a quem apelidou de "sonolento", pedir seu impeachment e o acusou de ter enganado dois países por milhões de dólares.

"Eu não fiz nada de errado. A campanha em vias de fracasso de Joe não o deixou outra opção (que pedir o impeachment)", afirmou Trump.

Até agora, enquanto muitos de seus adversários nas primárias democratas apoiavam abertamente a possibilidade de um impeachment contra Trump, Biden tinha afirmado que o processo só deveria avançar se o presidente se recusasse a cooperar com os comitês que investigam a pressão sobre a Ucrânia na Câmara de Representantes.

Ontem, a Casa Branca enviou uma carta às lideranças progressistas democratas para avisar que Trump não cooperará com as investigações por considerar o processo como ilegítimo.

Fonte: R7

Congresso aprova Lei de Diretrizes Orçamentárias

09/10/2019

O plenário do Congresso Nacional aprovou nesta quarta-feira (9) o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020. O texto segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

A LDO é a base utilizada pelo governo para elaborar a proposta de Orçamento da União para 2020. Entre outros pontos, o texto relaciona as metas e prioridades da administração federal.

A proposta foi analisada mais de um mês depois de chegada ao Congresso do Projeto da Lei Orçamentária Anual (PLOA) referente ao próximo ano.

A LDO de 2020 deveria ter sido aprovada antes do recesso de julho, conforme prevê a Constituição. Porém, como até aquele mês os congressistas ainda não tinham analisado o texto, acabaram realizando o chamado "recesso branco", uma espécie de recesso informal.

O texto prevê a destinação de emendas parlamentares de bancadas estaduais para o do fundo de financiamento de campanhas para as eleições de 2020.

O valor final do fundo eleitoral, no entanto, será definido durante as discussões da Lei Orçamentária de 2020, que será analisada em dezembro.

O Congresso rejeitou um destaque (sugestão de alteração do texto) que estabelecia uma regra para assegurar ganho real no reajuste do salário mínimo.

A proposta previa a seguinte fórmula: "Os reajustes do salário mínimo para 2020 corresponderão à variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado e divulgado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acumulada nos 12 (doze) meses anteriores ao mês do reajuste e, a título de aumento real, será aplicado o percentual equivalente à taxa de crescimento real do PIB, apurada pelo IBGE, para o ano de 2018".

O texto aprovado pelo Congresso prevê a correção do salário mínimo apenas pela inflação, nos termos da proposta enviada pelo Poder Executivo.

Alguns pontos da LDO

  • Salário mínimo de R$ 1.040 – reajuste do salário mínimo, a partir de janeiro do ano que vem, em 4,2%, passando dos atuais R$ 998 para R$ 1.040. O valor será pago nos contracheques de fevereiro. O percentual de 4,2% que será aplicado ao salário mínimo no próximo ano corresponde à previsão de inflação para este ano do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Por se tratar de uma estimativa, é possível que ocorra, até o fim do ano, alguma variação no valor de R$ 1.040. No próprio PLOA enviado ao Congresso, o governo já propôs a revisão do valor para R$ 1.039. A questão deve voltar a ser discutida pelos parlamentares até o fim do ano.
  • Reajustes de servidores – Ampliação do rol de servidores que podem ter aumento salarial se houver recursos para a concessão destes benefícios. O texto inicial, enviado pelo governo, estabelecia que, se houvesse verbas disponíveis no Orçamento e autorização da LDO, militares e seus pensionistas poderiam obter a “concessão de vantagens e aumentos de remuneração”. Agora, o texto permite que, nas mesmas condições, “servidores civis, membros de Poderes” possam pleitear o aumento nas remunerações. Ainda nestas circunstâncias, ou seja, havendo dinheiro para tanto, o governo poderá também criar cargos e funções.
  • Recursos para a educação – O texto ressalva que "despesas com as ações vinculadas à função Educação" não podem ser objeto de bloqueios orçamentários nos próximos anos. Com isso, essas despesas serão preservadas e não poderão ser contingenciadas em 2020, o que, por outro lado, também dificultará a execução orçamentária em 2020, tendo em vista os limites impostos pelo teto de gastos e pela meta fiscal.

Fonte: G1

Adolescente que ateou fogo em jovem e estuprou é condenado

09/10/2019

O adolescente de 16 anos, de iniciais J.C.S, suspeito de assassinar um jovem e estuprar a namorada dele logo em seguida, no município de Baixa Grande do Ribeiro, a 600 km ao Sul de Teresina, pegou a pena máxima de 3 anos de internação, segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). A decisão é do juiz Robledo Peres de Almeida. O crime, que chocou a região pela tamanha barbaridade, aconteceu no dia 7 de setembro. A audiência aconteceu no Fórum Juiz João Fontes Ibiapina, na tarde ontem, com forte esquema de segurança.

A vítima do estupro, uma jovem de iniciais L.F.S, de 19 anos, denunciou o crime na manhã do dia seguinte, horas depois do ocorrido. Ela relatou que estava com seu companheiro, Jucimar Ivo de Sousa, 19 anos, em um ponto afastado da cidade, onde teriam ido para ter um momento íntimo.

Segundo informou o capitão Antônio de Oliveira, do 10° Batalhão de Polícia Militar de Uruçuí, na época do crime, a namorada relatou que o adolescente atirou no braço de Jucimar, e logo depois em sua cabeça, além de dar uma pedrada na vítima. Após matar, o jovem teria obrigado a garota arrastar o corpo do seu companheiro a cerca de 10 metros do local dos disparos e em seguida ateou fogo.

O casal residia em uma localidade a 100 km da cidade e estava na casa de parentes. Eles tinham um filho de dois anos.

Em sua versão à polícia, o menor relatou, após ter confessado o crime, que teria tido uma desavença com Jucimar em uma seresta. Segundo o Cidadeverde.com apurou, o adolescente tem 12 passagens pela polícia.

Fonte: Portal Cidade Verde 

Aline Barros diz que não vai parar de falar de Jesus na TV

08/10/2019

A cantora Aline Barros foi homenageada no programa da Eliana que foi ao ar neste domingo (6).

Além de comemorar seu aniversário, Aline também falou sobre sua carreira, sua família e sobre a fé.

Em parte do programa, a cantora foi levada a ver algumas notícias que saíram sobre ela para dizer se eram verdadeiras ou falsas e se deparou com uma que dizia sobre ela ter “pregado” na Globo durante um programa.

Aline disse que falar de Jesus é algo natural nela e que ela não deixará de fazer isso.

“Eu nem sabia que tinha acontecido essa polêmica toda. Mas de fato, eu fui naquele programa, foi muito bom, as pessoas foram muito abençoadas. E quando as pessoas me levam para cantar e fazer algum tipo de programa, elas sabem que comigo vai a minha essência, aquilo que eu acredito. Então, não tem como ser diferente, eu sou isso aí”, disse.

Aline também declarou que é verdade a notícia que se guardou para o marido, com quem namorou por quatro anos e meio.

“Gilmar foi meu primeiro namorado. Eu estava com 18 anos e nós optamos por esperar a hora certa, o momento certo. Acho que tudo tem a sua hora, a Bíblia nos orienta assim”.

Fonte: Gospel Prime

Bolsonaro diz que derramamento de óleo pode ter sido criminoso

08/10/2019

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (8) que há a possibilidade de que o derramamento de óleo em praias do Nordeste tenha sido criminoso. Ele, no entanto, ponderou que as investigações ainda estão em curso e evitou comentar sobre o envolvimento de outros países.

"Não quero gerar um problema com outros países. (...) É um volume que não está sendo constante. Se fosse um navio que tivesse afundado, estaria saindo ainda óleo. Parece que criminosamente algo foi despejado lá", disse Bolsonaro nesta manhã ao deixar o Palácio da Alvorada em direção ao Palácio do Planalto.

O presidente afirmou que não há prazo para o fim das investigações e apontou dificuldades para se chegar a conclusões. "A densidade é um piche, um pouco maior que a densidade da água salgada. Então, não fica na superfície. Ele fica submerso. Esse é outro problema que estamos enfrentando lá", disse.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, acompanhou Bolsonaro na saída do Alvorada. Salles afirmou que o fluxo de óleo está em um movimento constante de ser levado para a costa e depois para o mar, o que dificulta o recolhimento do material. "Nosso papel é agir rápido como tem sido feito para retirar o que está em solo, mas também aprofundar a investigação para descobrir a origem", disse Salles.

Na segunda-feira (7), o ministro havia afirmado que mais de 100 toneladas de borra de petróleo já tinham sido recolhidas nas praias do Nordeste - a maior parte (cerca de 58 toneladas) no Estado de Sergipe. Manchas de óleo, ainda de origem desconhecida, já foram identificadas em pelo menos 133 pontos do litoral desde o começo de setembro, em 68 cidades dos nove Estados do Nordeste.

Na rápida fala desta terça, Bolsonaro voltou a demonstrar relação conturbada com a imprensa. Ele encerrou abruptamente a entrevista coletiva ao ser questionado sobre a ação do Ministério Público Federal que apontou um quadro generalizado de tortura em presídios do Pará que passaram a ser controlados por uma força-tarefa autorizada pelo Ministério da Justiça. A informação foi publicada neste terça pelo jornal O Globo.

Fonte: R7

Aplicativos


 Locutor Ao vivo


AutoDJ

Gospel Mix

Peça Sua Música

Nome:
E-mail:
Seu Pedido:


Top 5

Anunciantes